Miss Cantine

15 dicas de um especialista em alimentos para tornar as crianças mais saudáveis

Dr. Odile Fernández Ela é médica de família, mãe de três filhos e uma referência em nosso país em termos de nutrição e vida saudável.

Ela é autora de best-sellers como My Anticancer Recipes, escrita após superar o câncer de ovário, e autora de um blog com o mesmo nome, que recebe milhares de visitas diárias.

Nós a entrevistamos na ocasião da publicação de seu último livro “Meu filho come saudável”, um manual completo de alimentação infantil. Pedimos que você nos desse 15 chaves para as crianças comerem de maneira mais saudável, da gravidez à adolescência.

1. Comece a oferecer comida saudável o mais rápido possível

Dessa forma, eles se acostumarão mais cedo e mais rápido e criarão o hábito naturalmente.

E quanto mais cedo isso significa da gravidez, porque quando o bebê nascer, ele já terá seu paladar acostumado a partir do ventre da mãe.

2. Amamentação mínima por seis meses

Além dos benefícios saudáveis ​​do leite materno, por uma razão semelhante à anterior: quando a mãe amamenta seu filho, o bebê entra em contato com o sabor dos alimentos que come e se familiariza com eles.

3. Lidere pelo exemplo

Como pai e mãe, somos o espelho no qual nossos filhos se olham, de modo que toda a família (irmãos mais velhos, avós) deva comer saudável se quisermos que a criança também coma saudável do bebê.

Como vamos reivindicar que ele não bebe refrigerante (por exemplo) se os levarmos na frente dele?

4. Não compre o que não queremos que você coma

É senso comum. Se você não quiser comer doces ou pizza, por exemplo, não os leve ao supermercado. A primeira regra para evitar alimentos saudáveis ​​é não tê-los em casa, porque se forem, não podemos negá-los. Seria contraproducente.

5. Leve-os para fazer a compra

Especialmente para o mercado, para que eles vejam as barracas de frutas e legumes e se familiarizem com alimentos frescos e saudáveis.

No entanto, é melhor não nos acompanharem ao supermercado, porque alimentos menos saudáveis ​​são acessíveis e estão ao nosso alcance, e é muito difícil proibi-los.

6. Se deixe levar pela criatividade

Poucas crianças gostam de vegetais como estão, mas elas as aceitarão melhor se as apresentarmos de uma maneira original. Por exemplo, talvez seu filho rejeite a couve-flor cozida, mas aceite-a se você a preparar em uma omelete, na forma de creme … Trata-se de experimentar na cozinha.

7. Realize diferentes celebrações

Você pode tirar proveito de aniversários ou reuniões familiares para oferecer alimentos mais saudáveis ​​como uma alternativa aos doces e refrigerantes. Experimente os espetos de frutas com chocolate preto por cima. As crianças os amam!

8. Envolva as crianças na cozinha

Incentive-os a manipular alimentos, a cozinhar conosco, eles adoram e acham mais fácil experimentar novos sabores e introduzi-los em sua dieta, porque sentem orgulho de ter colaborado na preparação do prato e, portanto, é ótimo.

9. Sem prêmios e punições

Fazer com que eles comam prometendo ou proibindo algo é um grande erro. É por isso que nada do tipo fala: “Se você comer isso, eu te dou um creme para a sobremesa” ou sim “Você não termina seu prato, fica sem cinema”.

Devemos promover um relacionamento saudável com a comida, com respeito, carinho e paciência. Temos que entender que algumas crianças comem mais e outras menos.

O perigo de usar alimentos menos saudáveis ​​como recompensa

10. Coma todos juntos sem distrações

Falamos sobre desligar celulares, tablets e televisão. A hora das refeições deve ser um momento e harmonia para compartilhar com todos. Dessa forma, faremos com que nossos filhos relacionem a comida com momentos agradáveis ​​com os pais.

11. Pratique o desmame do bebê

Quando se trata de introduzir a alimentação complementar, é bom que as crianças possam escolher entre uma variedade maior de alimentos e controlar sua saciedade para evitar problemas de obesidade.

No começo, é um pouco assustador você poder engasgar ou não comer o suficiente, mas não é assim e faremos com que nossos filhos tenham um relacionamento saudável com a comida.

Desmame guiado por bebê: tudo o que você precisa saber, explicado por especialistas

12. Ensine-os a distinguir alimentos saudáveis ​​para crianças

Podemos aproveitar o dia em que eles precisam nos acompanhar para fazer a compra semanal, para que eles aprendam quais alimentos infantis são saudáveis ​​e quais não são.

Uma prática que também é útil para adultos: podemos pensar que um alimento é saudável e, ao ler o rótulo, descobrimos que não é muito, especialmente se incluir ingredientes como óleo de palma ou alto teor de açúcar.

Lembre-se de que uma criança com menos de 12 anos não pode comer mais de 17 g de açúcar por dia, e a maioria dos alimentos inclui açúcares não saudáveis.

Também é aconselhável evitar aditivos que contêm muitas salsichas e que podem se tornar cancerígenas e corantes (substitua-os melhor por açafrão).

13. Pequenas porções

Nós tendemos a oferecer mais comida do que eles realmente precisam e a obesidade aumenta paralelamente ao tamanho das porções. Portanto, no lugar de um prato para transbordar, é melhor oferecer um pouco e, se você estiver com fome, jogue um pouco mais.

Para se ter uma idéia, a ração de uma criança entre um e três anos deve ser um quarto do que a de um adulto.

14. Alimentos para controlar

  • Evite sal

  • Substitua os corantes por especiarias aromáticas que possuem poder anti-inflamatório e ajudam a prevenir o câncer.

  • Leguminosas: é preciso tomá-las três vezes por semana, mas acompanhadas de vegetais.

  • Um máximo de laticínios por dia, e melhor se for um iogurte sem açúcar ou queijo.

  • Um ovo diário

  • Peixe: 2-3 vezes por semana, evitando espécies grandes em crianças menores de três anos.

  • Carne: uma ou duas vezes por semana e melhor se for frango ou peru de fazendas orgânicas.

  • Almoço Não mais uma vez a cada 15 dias.

  • Sorvete, muito ocasionalmente.

23 alimentos proibidos para bebês e crianças de acordo com a idade

15. O prato infantil mais saudável

Segundo a Escola Pública da Universidade de Harvard, metade do prato deve consistir em frutas e legumes e a outra metade em grãos integrais (25%) e gorduras e proteínas saudáveis ​​(outros 25%).

  • Legumes. Todos, exceto a batata, por seu impacto negativo nos níveis de açúcar no sangue (especialmente fritos).

  • Frutas Fresco e sazonal e quanto mais colorido, melhor. Limite os sucos a um pequeno por dia.

  • Cereais integrais. Tente evitar os chamados brancos e opte por arroz e trigo integral, quinoa, macarrão e pão integral, aveia …

  • Proteínas saudáveis. Além de vegetais, você pode escolher peixe, carne branca (como frango e peru) e ovo. Limite de carne vermelha, bovina, suína e cordeiro.

  • Gordura Você encontrará gorduras saudáveis ​​em peixes, abacate, nozes, sementes e azeite de oliva extra virgem.

  • Laticínios Limite de um ou dois laticínios por dia, melhor natural, kefy e queijo.

  • Agua É a melhor bebida que podemos consumir. Descarte bebidas açucaradas, refrigerantes e sucos-limite.

E lembre-se, explica Odile Fernández, que para a criança seguir uma dieta saudável, “deve praticar”.

Por certo! Ele confessou que estava ansioso para colaborar no Babies and More, um site que ele ama e lê diariamente. Outro bom motivo para adorá-la!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *