Miss Cantine

Amigdalite viral e bacteriana: quais são os sintomas e como são tratadas as placas na garganta

A amigdalite, ou inflamação da angina, é uma das condições mais comuns em idade pediátrica, que sente dor intensa ao engolir, mal-estar, febre e, às vezes, placas de pus também podem aparecer.

Mas a amigdalite nem sempre implica tratamento com antibióticos, porque às vezes a causa pode ser viral. Nós dizemos como uma amigdalite viral difere de uma bacterianae qual tratamento é necessário em cada caso.

O que é amigdalite?

Amigdalite é a inflamação das amígdalas (ou angina) causada por uma infecção causada por vírus ou bactérias. Às vezes, a infecção está localizada apenas na angina, embora mais comumente se espalhe para outras áreas circundantes, causando inflamação da faringe (faringotonsilite).

Quais sintomas você tem?

Você pode ver vermelhidão e aumento de amígdalas, às vezes acompanhada de manchas brancas ou placas de puse dor nos nós submaxilares. Há também febre, dor de garganta e cabeça, alterações na voz (voz mais rouca ou grosseira) e, às vezes, sintomas catarrais também estão associados.

Como conseqüência de tudo isso, a criança experimenta:

  • Dificuldade em engolir, babando e perda de apetite

  • Fraqueza, fadiga ou agitação

  • Mal hálito

  • Dor de estômago e náusea

Placas virais e bacterianas: como elas diferem?

Acompanhando a dor e a vermelhidão da faringe e angina, às vezes também podem ocorrer pontos ou manchas brancas nas amígdalas ou na garganta: são chamadas de placas e a causa pode ser viral ou bacteriana.

Das bactérias mais frequentemente envolvidas em episódios de faringotonsilite durante a infância, o estreptococo beta hemolítico do grupo A (EbhGA) ou
Streptococcus pyogenes É o mais comum e o único em que o tratamento com antibióticos seria indicado.

E se falamos de causas virais, os adenovírus são os que mais frequentemente causam infecção na garganta em crianças menores de cinco anos.

A amigdalite estreptocócica ou bacteriana é muito rara em crianças menores de dois anos e mais comum em crianças a partir dos cinco anos e adolescentes.

Como o tratamento adequado para amigdalite ou faringotonsilite depende da causa que o causou, é importante obtenha um diagnóstico preciso.

Às vezes, é suficiente para o pediatra conhecer os sintomas e avaliar a condição da criança, mas em outras ocasiões é necessário fazer testes adicionais para saber se estamos enfrentando uma infecção na garganta:

  • O teste mais rápido que existe é um teste de detecção de antígenos de estreptococos, que pode ser realizado no consultório de maneira simples e indolor. Consiste na análise de uma amostra de fluido das amígdalas e os resultados são obtidos em alguns minutos.

  • Há também outro teste que consistiria em uma cultura faríngea, que é uma análise realizada em laboratório e cujos resultados levam mais tempo.

Como evolui a amigdalite?

Dependendo da causa que a causa, a doença começará de uma maneira ou de outra, e também apreciaremos mudanças em sua evolução.

Assim, é comum que a amigdalite viral seja acompanhada de sintomas catarrais e febre baixa ou moderada que desaparecerá em questão de três dias. Pelo contrário, Amigdalite bacteriana tem início abrupto, geralmente não carrega outros sintomas catarrais, e a febre que ocorre é alta.

Escarlate em crianças: tudo sobre contágio, seus sintomas e tratamentos

Como é tratada a amigdalite?

Como acabamos de mencionar, somente no caso de amigdalite bacteriana, recorreremos ao uso de antibióticos. É importante seguir as instruções prescritas pelo pediatra quanto à quantidade e duração do tratamento, e dentro de 48 horas os efeitos começarão a ser notados.

Seja uma amigdalite viral ou bacteriana, também podemos usar analgésicos para aliviar a dor e o desconforto, além de executar as seguintes medidas que contribuirão para melhorar os sintomas:

  • Aumentar o ingestão de líquidos

  • Como é possível que a criança seja incompetente devido à dor da deglutição, podemos adaptar sua dieta durante esses dias, oferecendo alimentos macio e fácil de engolirr

  • Evite alimentos e bebidas excessivamente quentes

  • Salvar resto, especialmente se houver febre

Que complicações podem ocorrer?

Embora não seja usual, a amigdalite bacteriana pode apresentar certas complicações associadas isso pode se tornar sério, daí a importância de consultar o pediatra caso os sintomas persistam ou notem uma piora.

  • As complicações supurativas associados ocorrem em 1-2% das crianças com faringotonsilite bacteriana não tratada ou mal tratada e são otite média, sinusite, mastoidite, adenite purulenta e abscesso da amígdala

  • Em quanto a complicações não supurativas febre reumática, glomerulonefrite aguda e artrite reativa

Como podemos evitar o contágio?

O Vírus e bactérias responsáveis ​​por amigdalite são muito contagiosos, e são transmitidos pelas secreções da pessoa infectada. As medidas básicas de prevenção, tanto para esta doença como para semelhantes, são:

  • Lavagem frequente das mãos

  • Ventilação de espaços

  • Evite beijos na boca e não compartilhe copos, pratos, talheres e outros utensílios

  • Cubra o nariz e a boca quando tossir ou espirrar

A Associação Espanhola de Pediatria lembra que, nos meses mais frios do ano, certos vírus responsáveis ​​pela faringotonsilite são mais propensos, assim como a infecção estreptocócica, cuja transmissão é favorecida pela superlotação de crianças em ambientes fechados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *