Miss Cantine

As crianças preferem ler livros no papel e não na tela

Existe uma idéia generalizada de que as crianças lerão mais se tiverem um dispositivo como um iPad ou um Kindle, mas novas pesquisas revelam que não precisa ser o caso.

Em um estudo entre crianças de 10 a 12 anos, aquelas que tinham acesso regular a dispositivos com capacidade de ler e-books (como Kindles, iPads e telefones celulares) eles não usaram os dispositivos para ler, mesmo se fossem crianças que leem diariamente. A pesquisa também revelou que, quanto mais dispositivos disponíveis para a criança, menos ela lê em geral.

Isso sugere que fornecer às crianças dispositivos onde eles possam ler e-books pode inibir sua leitura em geral e que livros de papel ainda são os favoritos dos mais jovens.

Esses achados corroboram os resultados de uma investigação anterior que analisou a maneira pela qual os adolescentes preferiam ler. Esta pesquisa concluiu que, embora alguns estudantes gostassem de ler livros em dispositivos, a maioria que tinha acesso a essas tecnologias normalmente não os usava para esse fim. Mais importante ainda, os leitores mais ávidos de livros geralmente não liam livros nas telas.

Por que achamos que as crianças preferem ler nas telas?

Existe uma opinião popular de que os jovens preferem ler nas telas em vez de no papel, uma ideia parcialmente motivada pelo escritor de educação Marc Prensky quando, em 2001, cunhou o termo “nativos digitais” para se referir a jovens que têm um Bons conhecimentos de mídia digital e que preferem universalmente a leitura em dispositivos.

Mas nem todos os jovens têm as mesmas capacidades digitais e a ciência não apóia essa afirmação de que eles preferem telas.

Apesar disso, o mito já teve um impacto nas decisões agora de escolher as fontes de livros nas escolas e bibliotecas públicas na Austrália e nos EUA, onde algumas bibliotecas optaram por remover todos os seus livros. papel pela alegada preferência por livros eletrônicos.

O que as bibliotecas estão fazendo com essa medida é limitar o acesso dos jovens à sua maneira favorita de ler, algo que pode ter um efeito prejudicial na frequência de leitura.

Os jovens têm cada vez mais acesso a dispositivos graças aos programas promovidos pelas escolas e pelos pais que enfrentam campanhas de marketing agressivas para acompanhar as tecnologias educacionais em casa.

As escolas são incentivadas a aumentar o uso de dispositivos e, no caso da Austrália, por exemplo, a tecnologia da informação e as tecnologias de comunicação são as principais habilidades a serem demonstradas em todas as disciplinas.

Os argumentos a favor da leitura em dispositivos são sólidos, mas não são bem fundamentados.

Por que os alunos geralmente preferem ler livros em papel?

Ler em dispositivos por meio de um aplicativo gera mais distrações porque eles permitem ao usuário alterar aplicativos facilmente.

Para os alunos que já têm problemas de atenção, a recompensa imediata de jogar um videogame pode facilmente superar os benefícios a longo prazo da leitura.

A alfabetização digital também pode ser um problema, porque, para usar um dispositivo para ler livros, as crianças precisam aprender a usá-los.

Eles precisam saber como acessar material de leitura gratuito legalmente através de aplicativos como o Overdrive ou sites como o Projeto Gutenburg.

Dicas para incentivar seu filho a ler

Estudos científicos revelam que a leitura de livros é uma maneira mais eficaz de melhorar e manter o nível de alfabetização do que simplesmente ler outros tipos de texto. No entanto, pesquisas internacionais sugerem que os jovens leem cada vez menos livros.

O simples fornecimento de dispositivos para crianças em que eles podem ler e-books não os incentivará a ler, mas existem várias estratégias apoiadas pela pesquisa Eles podem ajudar a incentivar as crianças a pegar um livro.

Tais estratégias incluem:

  • Deixe-os ver que você gosta de ler. Este estudo concluiu que vários alunos não sabiam se seus professores de línguas gostavam de ler. Os professores que demonstraram interesse pela leitura inspiraram alguns alunos a lerem mais e a se interessarem por um espectro mais amplo de livros.
  • Criar (e usar com freqüência) espaços para leitura em casa e nas escolas. O barulho, a pouca iluminação e muitas distrações podem tornar a experiência de leitura não agradável e acabamos ficando frustrados.
  • Incentive a leitura silenciosa Normalmente, livros na escola e em casa. Dar tempo para as crianças lerem na escola não apenas as faz adotar uma rotina de leitura, mas também pode ser uma oportunidade para a criança ler livros que escolheu para si para sua diversão.
  • Professores e pais devem falar sobre livros, compartilhando idéias e recomendações.
  • Certifique-se de incentivar seu filho e seus alunos a leia por prazer. Embora saibamos que as crianças tendem a se distanciar dos livros ao longo do tempo, às vezes pode ser devido à falta de apoio quando começam a ler por conta própria. Isso faz com que as crianças acreditem erroneamente que a leitura não é mais importante, por mais importante que seja melhorar e manter o nível de alfabetização em crianças e adultos.
  • Descubra o que seu filho gosta de ler e facilita o seu acesso a livros na escola e em casa.

Autores: Margaret Kristin Merga, Professora e Pesquisadora em Alfabetização, Promoção e Educação para a Saúde na Universidade Murdoch e Saiyidi Mat Roni, Professora na Universidade Edith Cowan

Este artigo foi publicado originalmente na The Conversation. Você pode ler o artigo original aqui.

Traduzido por Silvestre Urbón.

Em bebês e mais | Cinco dicas para aproveitar ao máximo as histórias de leitura para seus filhos, vamos ler histórias em voz alta para nossos filhos! Fazer isso traz benefícios importantes para o seu desenvolvimento. Os 25 melhores livros para crianças, classificados por idade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *