Miss Cantine

Ele zomba do gosto pela dança do príncipe George, e as redes lembram que o balé também é para crianças

Ainda há quem pense que o balé é coisa de menina, e não concebe a ideia de ver uma criança dançar. Ou pelo menos é o que parece julgar pela mais recente controvérsia que surgiu na televisão americana, na qual um apresentador conhecido zombou do gosto pela dança do príncipe George, filho dos duques de Cambridge.

O príncipe começou seus estudos de balé no ano passado, quando iniciou sua nova etapa na escola particular St. Thomas’s Battersea. Desde então, fontes próximas à família real britânica garantiram que ele é apaixonado pela atividade e faz parte da educação aberta e respeitosa que seus pais sempre cuidaram de dar aos filhos.

“Vamos ver quanto tempo dura!”

A controvérsia surgiu há alguns dias no famoso programa matinal “Good Morning America”, quando sua apresentadora, Lara Spencer, ele zombou animadamente do gosto pela dança da Inglaterra do príncipe George, alegando que “O príncipe William diz que George adora fazer balé. Tenho algo a lhe dizer, príncipe William: para ver quanto tempo dura.”.

O comentário começou o riso do público reunido no set, mas Ele levantou críticas de inúmeras celebridades como Rosie O’Donnell, Cheryl Burke, Derek Hough, Debbie Allen ou o ator da saga Star Treck, George Takei, que postou em sua conta do Twitter:

“Lara Spencer, na @GMA, zombou do príncipe George, do Reino Unido, e de 6 anos de idade, fazendo aulas de balé. Isso mostra que a” masculinidade tóxica “também pode se espalhar agressivamente entre mulheres insensíveis Como meu homônimo George, e como amante de dança, estou realmente enojado e zangado com as palavras dele “.

As palavras do ator rapidamente se tornaram virais e milhares de usuários criticaram o tom intimidador usado pelo apresentador e relataram ter vivido situações semelhantes em seu ambiente, apoiando o fato de que Meninos e meninas podem se expressar em absoluta liberdade.

Antes da enxurrada de críticas recebidas, Lara Spencer refletiu sobre suas palavras e decidiu retificar através de uma mensagem na sua conta do Instagram. Além disso, ele entrou em contato com o coreógrafo Travis Wall para pedir desculpas pessoalmente, e convidou ele e outros membros da comunidade de dança e balé para participar de seu programa matinal no canal ABC.

“Minhas sinceras desculpas por um comentário insensível que fiz ontem no programa. Do balé, a qualquer coisa que você queira explorar na vida, digo-lhe: Vá em frente. Acredito firmemente que todos devemos ser livres para seguir nossas próprias paixões.” Vá escalar sua montanha e ame cada minuto que você gasta nela. “

E foi assim que ontem um total de 300 dançarinos reunidos, entre homens, mulheres e crianças, fora dos estúdios de televisão onde o programa Good Morning America está gravado. E através de uma bela coreografia, eles mostraram ao mundo que o balé não é apenas coisa de menina.

Sem dúvida Aprecia-se a mensagem de desculpas e o gesto final do apresentadorBem, às vezes podemos dizer coisas sem realmente pensar nas consequências que elas podem ter; Especialmente quando falamos de crianças.

Aulas de balé do príncipe George

O príncipe George começou a frequentar aulas de balé no ano passado, como parte do ensino multidisciplinar oferecido por sua escola. Como pode ser lido no site da escola, balé é uma atividade muito popular entre crianças de todas as etapas e os prepara para os exames da Royal Academy of Dance, bem como para as amostras que eles realizam na escola duas vezes por ano.

Suas aulas semanais duram 35 minutos e são acompanhadas pela música ao vivo de um pianista. O programa consiste em três disciplinas de dança: balé, movimento livre (influenciado por outros estilos de dança, como jazz, dança grega contemporânea e clássica) e performance teatral.

“Quem são os pais para vetar os sonhos de nossos filhos?” Conversamos com Fanny, mãe de uma criança que quer ser dançarina

Quebrando estereótipos de gênero

Por desgraça, O comentário de Lara Spencer não é isolado. De fato, houve várias ocasiões em que ecoamos notícias semelhantes que afetaram meninos e meninas.

No caso deles, não é estranho ouvir críticas se elas demonstram interesse em coisas tradicionalmente associadas a papéis femininos, como usar cabelos longos, cozinhar, fazer balé ou patinar, vestir acessórios femininos ou brincar com bonecas.

No caso das meninas, é comum que elas cresçam cercadas por papéis de gênero que se referem ao modo como devem se comportar porque são meninas, suas próprias profissões ou atividades de lazer ou a importância de cuidar sua aparência externa

As 21 frases sexistas que as crianças ouvem (e se reproduzem) desde pequenas, e que devemos evitar
E, por mais que pesemos, ainda somos prisioneiros de nossos próprios estereótipos, perpetuando os papéis de gênero com nossas crenças absurdas e reproduzindo frases sexistas sem ter consciência dos danos que causam às crianças.

O trabalho de todos é educar meninos e meninas em igualdade, sem cortar as asas de sua criatividade e encorajando-os a serem o que querem. Mas, para que nossos filhos sejam criados em uma sociedade igual em todos os aspectos, devemos agir em uníssono de diferentes esferas.

É claro que pais e educadores têm muito o que fazer, mas também escolas, grandes empresas, campanhas publicitárias de roupas e brinquedos que prejudicam a liberdade das crianças, a mídia e, finalmente, qualquer pessoa. com a qual atravessamos a cada dia.

Via El País, Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *