Miss Cantine

Como solicitar a licença de paternidade de oito semanas: guia de procedimentos passo a passo

Menos de três anos atrás, os pais só tinham 15 dias de licença de paternidade; Hoje a realidade é muito diferente. Desde 1º de abril passado, a licença de paternidade foi estendida para 8 semanas. Pouco menos de dois meses completos que visam equiparar maternidade e paternidade progressivamente para igual a 16 semanas em 2021.

Então, se você vai ser pai em breve, você É interessante saber como solicitar sua licença de paternidade e poder aproveitar sua licença paga. Ensinamos como fazê-lo.

Quem pode solicitar licença de paternidade

Para usufruir dessa permissão, você tem que ser autônomo ou empregado e, portanto, ter contribuído para a Seguridade Social em um de seus regimes. O mais comum é ter contribuído no Esquema Geral como empregado assalariado ou freelancer no RETA (ou, em alguns casos, em ambos ao mesmo tempo).

Além disso, em geral, os pais devem ter um período mínimo de contribuição de 180 dias coberto dentro de 7 anos imediatamente antes do pedido de licença de paternidade ou 360 dias em toda a sua vida profissional.

Quando esse direito pode ser desfrutado?

As duas primeiras semanas de permissão deve ser desfrutado continuamente desde o dia do nascimento. Os seis restantes podem ser usufruídos no primeiro ano de vida da criança, durante a licença de maternidade da mãe ou posteriormente. No caso de parto, adoção ou assistência social múltipla, serão adicionadas mais duas semanas para cada criança a partir da segunda.

Além disso, é possível aproveitá-lo forma completa ou parcial, com um mínimo de 50%, e sempre de comum acordo com o empregador. Essa possibilidade é compatível e independente da licença de maternidade da mãe.

Qual é o valor do benefício

O benefício econômico da licença de paternidade É equivalente a 100% da base regulatória, que corresponderá à provisão de invalidez temporária devido a contingências comuns, tendo como data de início do descanso.

Essa base regulatória é calculada levando em consideração a base de contribuição para contingências comuns do mês anterior Beneficiar da licença, excluindo as contribuições extraordinárias, divididas pelo número de dias a que essa contribuição corresponde. Esse valor diário é multiplicado pelo número de dias de aproveitamento da licença, neste caso, 56.

Por exemplo, um trabalhador com uma base de contribuição de 1500 € no mês de outubro e cujo filho nascer no mês de novembro receberá um total de 2709,67 €. O valor é calculado multiplicando diariamente, para o mês de outubro, que é de 48,38 €, por 56 dias, que é o período de aproveitamento do benefício.

Deve-se ter em mente que, como a recente decisão da Suprema Corte que declara isenção de paternidade e maternidade, Não há obrigação de aplicar retenções a esses benefícios nem pague por eles. Esse valor é, portanto, o que é recebido em termos líquidos e será aquele que atingir nossa conta bancária.

Você teve um filho em 2018? É assim que a licença de maternidade e paternidade se reflete na sua declaração de renda

Como solicitar uma licença de paternidade

A solicitação é feita em qualquer um dos escritórios da Previdência Social, apresentando os modelos padronizados. A seguinte documentação deve ser anexada a esta solicitação:

  • RG ou passaporte e Número de identificação estrangeira (NIE).
  • Funcionários eles precisam solicitar um certificado emitido pela empresa (pode ser obtido aqui) informando a data de início da suspensão do trabalho de paternidade, se o certificado não tiver sido enviado pela empresa através do Sistema RED.
  • O livro de família ou a certificação do registro da criança ou crianças quando esses dados não são registrados no Registro Civil.
  • Em caso de adoção, devemos fornecer a resolução judicial que estabelece a adoção ou tutela, ou a resolução administrativa ou judicial que concede assistência social à família.
  • Além desta documentação, você deve fornecer os documentos comprovativos se for uma família numerosa, desempregados, deficientes, famílias monoparentais ou em caso de hospitalização do recém-nascido após o nascimento, o que leva à extensão do período de descanso.

O modelo MP1-01 de Seguridade Social

Desde 1º de abril de 2019, o documento para solicitar licença de paternidade foi alterado. Agora você deve preencher o modelo “Parto e assistência ao parto” e pode ser baixado no site do Seguro Social. É o modelo que mãe e pai devem apresentar.

O cabeçalho do documento é o seguinte:

Na primeira parte, devemos informar os dados pessoais dos pais ou do representante legal: nome, sobrenome, data de nascimento, endereço, ID, local ou província, entre outras informações. No cabeçalho, e como é o pai que solicita o benefício, a opção “Outro pai” deve ser verificada.

Na segunda parte, devemos concluir qual o motivo da solicitação, se for por nascimento ou gravidez por substituição, incluindo a data de início do descanso, o número de filhos nascidos ou se tiverem algum tipo de deficiência entre outros problemas.

A terceira parte do modelo serve para relatar regulamentos aplicáveis. Basicamente, devemos responder com sim ou não se o status básico do funcionário público se aplicar a nós.

A quarta parte define o modo de usufruto do benefício. Na primeira seção, é informado se a mãe desfrutará do resto antes do nascimento, mas não é aplicável caso o requerente seja o pai. Além disso, será informado se a mãe vai ou não atribuir parte do restante aos outros pais (pode dar até 4 semanas), se o restante está completo ou em período parcial, e as datas do início e do final do resto.

Caso o gozo seja de meio período, a parte interessada deverá apresentar:

  • No caso de pessoas ocupadas, documento que comprove o acordo entre empregador e empregado sobre o gozo do descanso. O arquivo pode ser baixado no site do Seguro Social.
  • No caso de trabalhadores independentes, um documento da parte interessada em que são recolhidos os termos em que o regime de parcialidade da atividade será realizado. Pode ser baixado no site do Seguro Social.

Caso desejemos usufruir da permissão em vários períodos, precisamos preencher outro documento que pode ser baixado no site do Seguro Social.

Por último, as últimas partes servem para informar sobre outros dados relevantes, como a residência fiscal dos contribuintes, a conta bancária de ambos os cônjuges ou a apresentação de alegações, entre muitos outros dados.

Após a conclusão desse modelo, devemos solicitar uma consulta em um dos escritórios da Previdência Social e enviá-la. Nesse mesmo momento, o funcionário público nos informará se temos ou não o direito ao benefício e seu valor. Também é possível apresentá-lo através da Internet.

O Instituto de Seguridade Social envia a resolução da solicitação para o endereço da parte interessada, que você receberá a primeira renda na segunda semana do mês seguinte ao reconhecimento do seu benefício.

E a partir desse momento, apenas precisamos nos preocupar em cuidar do nosso filho.

Imagem | Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *