Miss Cantine

Na era da comunicação digital, como podemos ensinar nossos filhos a ter uma boa conversa cara a cara?

Muitas pessoas reclamam do vício de crianças e adolescentes em novas tecnologias. Não é de surpreender que, de acordo com as estatísticas, na Espanha, 25% das crianças adquiram seu primeiro celular aos 10 anos, tornando-se um dos principais presentes da Primeira Comunhão.

Mas a chegada do celular traz, em muitos casos, um abuso de redes sociais e whatsapp, algo que até levou alguns países a proibir seu uso nas escolas, alegando que, entre outras coisas, favorece o isolamento social dos alunos. Portanto, na era da comunicação digital, queremos oferecer a você o chaves para ensinar seus filhos a ter uma boa conversa cara a carae para não se esconder atrás da tela do seu telefone.

A importância de olhar nos olhos

Já falamos sobre a importância de estabelecer contato visual com seu bebê desde o nascimento e, principalmente, à medida que cresce. Segundo estudos, a troca de olhares sincroniza as ondas cerebrais e ajuda a comunicação entre as pessoas a ser mais fluida.

Mas se, além disso, seu filho tiver um problema de disfluência ou fluência verbal, o contato visual trará calma e segurança, além de ajudá-lo a se sentir confiante ao se comunicar com você.

Precisamente, se falta comunicação através de dispositivos móveis, é sobre esse contato visual que estamos falando. Quantos adolescentes teremos visto trancado nas telas de seus telefones, sem interagir com o amigo que eles tinham ao lado ?!

O exemplo é sempre a melhor maneira de educar nossos filhos, deixando nosso telefone de lado e nos conectando cara a cara com eles. Embora neste caso também podemos confiar em jogos (especialmente se nossos filhos são muito pequenos), como nos olhar através do espelho ou inventar uma linguagem de sinais que força seu filho a olhar nos seus olhos para adivinhar o que você quer dizer.

Pratique a escuta ativa

Não gostamos que ninguém fale conosco de cima, mas as crianças, devido à diferença de altura que têm com os adultos, passam uma parte de suas vidas tendo que olhar sempre que conversamos com eles. Mas e se vamos descer ao nível deles quando conversarmos com eles?

O método de escuta ativa é muito eficaz na comunicação com nossos filhos, porque mostra a eles, de maneira não-verbal, nossa disponibilidade e interesse no que eles nos dizem. Algo como dizer a eles, sem palavras: “Fala, eu estou aqui para te ouvir”.

Para os adultos, é apenas um gesto simples, mas para a criança é muito mais do que isso, pois, ao nos colocarmos no auge, nos sentiremos valorizados, compreendidos, ouvidos e seguros. E, no final, essa empatia e respeito que estamos transmitindo a ele quando falamos serão transmitidos por ele mesmo quando ele falar com outras pessoas.

A importância das “palavras mágicas”

Uma conversa que começa com uma cordial saudação é uma regra básica da educação que as crianças devem aprender com o exemplo, mas nunca forçando-os a fazer contato físico com o seu interlocutor, se você não quiser.

Beijos e abraços: por que não forço minha filha a dar, se ela não quer

Também é importante que Aprenda a expressar seus sentimentos de gratidão ou perdão, algo que geralmente custa por não encontrar as palavras certas. Mas, novamente, os pais devem dar o exemplo de nossas ações, pedir perdão quando considerarmos que falhamos ou demonstrar gratidão a certos gestos ou ações.

Respeite os sentimentos do interlocutor

“O gato comeu sua língua?” Reconheço que estou muito zangado quando essa expressão é usada na frente de uma criança que não quer falar. Não gosto de julgar, rotular ou desrespeitar a outra pessoa pelo fato de que, naquele momento, ela não deseja se expressar.

Portanto, como não quero que eles façam isso com meus filhos, também tento ensine-os a respeitar o silêncio dos outros. Porque nosso interlocutor pode ter tido um dia ruim e não quer conversar, se sentir cansado ou apenas querer um pouco de silêncio. Lembre-se de que respeito e empatia são a base de qualquer relacionamento humano.

Passe algum tempo por dia conversando com seus filhos

Além de brincar com eles, é muito benéfico para o desenvolvimento das crianças passar algum tempo por dia conversando e ouvindo um ao outro, mesmo quando são bebês e achamos que eles não entendem o que dizemos a eles.

À medida que envelhecem e as conversas se tornam mais fluidas, podemos aproveitar a hora do jantar para conversar com elas, embora para outras famílias o momento ideal possa ser durante o banho ou antes de dormir. O importante é criar um ambiente de confiança, conexão e amor para convidar a comunicação bidirecional.

Falar sobre o dia que tivemos ou compartilhar nossas alegrias e preocupações do dia não é apenas uma excelente maneira de promover a comunicação, mas uma experiência enriquecedora em muitos outros níveis.

Como fazer com que seus filhos não respondam ao ‘Como você estudou’ com um ‘Bom’ para secar

Histórias, histórias, músicas, teatro …

Outra maneira de ensinar nossos filhos a se comunicar, é fazer isso através do jogo, especialmente quando eles são pequenos e precisam ganhar confiança e fluência verbal ao falar.

Cantar músicas juntos, tocar peças, fazer teatro de bonecos, falar ao telefone de brinquedos ou contar histórias, são maneiras divertidas de ensinar as crianças a expandir seu vocabulário, enquanto melhorar suas habilidades linguísticas e sociais.

À medida que a criança cresce, podemos incorporar outras técnicas, como o debate, que também o ajudarão a desenvolver seu pensamento crítico, promover sua auto-estima e respeitar os diferentes pontos de vista de seus interlocutores.

Em resumo, novas tecnologias e comunicação cara a cara não precisam estar em desacordo se ensinarmos nossos filhos a combiná-los corretamente, e fazê-los ver sempre o valor das relações sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *