Miss Cantine

O leite materno pode ajudar a programar o ritmo circadiano dos bebês e distinguir o dia da noite

O leite materno humano é muito mais do que apenas uma refeição: também é um relógio que fornece informações aos bebês sobre que horas são, pois a composição do leite materno muda ao longo do dia. De manhã, o leite energizante contém um coquetel de ingredientes diferentes do leite calmante da noite. Os pesquisadores acreditam que essa “cronutrição” pode ajudar a programar o ritmo circadiano em desenvolvimento dos bebês, o cronômetro interno que permite que os bebês distinguam o dia da noite.

Mas o que acontece quando os bebês consomem leite que não sai diretamente da mama e que foi extraído em outros momentos do dia ou que foi salvo para que o bebê consuma em outro momento? Até agora, os cientistas mal se preocupavam em estudar os possíveis efeitos do consumo “tardio” de leite no desenvolvimento dos bebês, mas as repercussões podem ser muito amplas.

Como psicólogos que estudam biologia da paternidade, colaboramos com Laura Glynn, Caroline Steele e Caroline Bixby para investigar os testes de leite materno como uma medida de tempo.

Relógios biológicos ao longo do dia

Os níveis de sono, digestão e energia mostram ritmos circadianos, o que significa que seguem um ciclo diário. Como todo pai que teve que acordar às três da manhã para criar o bebê sabe, os bebês não nascem com esses ritmos completamente sincronizados. Por sua vez, seu senso de dia e noite se desenvolve durante as primeiras semanas e meses de vida, graças a sinais como luz do sol e escuridão.

Os bebês podem ter comportamentos muito diferentes: alguns mostram flutuações circadianas em hormônios bastante previsíveis em relação ao estado de alerta, sono e apetite, podendo dormir por longos períodos logo após o nascimento, enquanto outros parecem ter ritmos Diários interrompidos por meses. Um atraso no desenvolvimento do ritmo circadiano pode aumentar o risco de cólica e levar a problemas de crescimento ou desnutrição.

Mas os cientistas sabem muito pouco sobre as razões das diferenças na biologia circadiana dos bebês. O leite materno pode ajudar a programar o ritmo circadiano dos bebês, o que ajudaria a explicar por que alguns pais de recém-nascidos podem dormir a noite toda, enquanto outros têm dificuldade em acostumar seus bebês a uma rotina.

A amamentação à tarde pode fazer com que a mãe dê ao bebê sinais de que é “hora de dormir”.

Trocas de leite

O leite materno muda significativamente ao longo do dia. Por exemplo, os níveis de cortisol (um hormônio que promove a atenção) são três vezes maiores no leite materno do que na noite. A melatonina, que afeta o sono e a digestão, mal pode ser detectada no leite durante o dia, enquanto aumenta à tarde e atinge seus níveis máximos à meia-noite.

O leite noturno também contém níveis mais altos de alguns componentes do DNA que ajudam a melhorar o sono saudável. O leite diurno, por outro lado, possui mais aminoácidos que estimulam a atividade do que o leite noturno. O ferro no leite atinge seus níveis máximos ao meio-dia; Vitamina E à tarde. Minerais como magnésio, zinco, potássio e sódio têm todos os níveis mais altos pela manhã.

O leite diurno pode conter uma mistura imune completa. Entre as mães que forneceram aos cientistas amostras de leite materno durante o primeiro mês após o parto, os componentes imunológicos (incluindo anticorpos-chave e glóbulos brancos) apresentaram níveis mais altos por dia do que à noite. Outro estudo encontrou níveis mais altos de um componente importante para a comunicação do sistema imunológico no leite diurno em comparação com o leite noturno.

Como ajudar seu bebê a dormir à noite

Embora esteja claro que o leite muda ao longo do dia, os cientistas ainda sabem pouco sobre o significado que tem para a saúde dos bebês.

Os pesquisadores sabem que os hormônios e componentes imunológicos do leite materno são transmitidos aos bebês e que eles começam a desenvolver e refinar seus próprios ritmos circadianos durante os primeiros meses de vida. É plausível que esses sinais relacionados ao tempo no leite materno possam ajudar a moldar a biologia circadiana dos bebês. As diferenças nos tempos de amamentação podem explicar por que existem tantas diferenças no desenvolvimento desses ritmos diários de um bebê para outro.

Mensagens a tempo no leite?

Durante a maior parte da história da humanidade, o leite materno só podia ser consumido diretamente a partir do peito, o que significava que o leite sempre seria ingerido quando produzido. Agora, com bombas de mama e refrigeração, não é mais o caso: de acordo com uma pesquisa realizada entre 2005 e 2007, mais de 85% das mães que amamentam nos EUA haviam retirado o leite.

O que acontece quando os bebês são alimentados com leite noturno pela manhã ou leite diurno à tarde? Não temos certeza, pois quase não existem estudos sobre o assunto. Dar uma mamadeira de leite diurno pela manhã, com altos níveis de cortisol e baixos níveis de melatonina, pode ser o equivalente nutricional de acender as luzes imediatamente antes de dormir.

Se os sinais temporários no leite realmente ajudarem a calibrar a biologia circadiana dos bebês, aqueles que recebem leite “na hora errada” podem ter mais problemas com sono, digestão e desenvolvimento.

Controlar o tempo em que o leite foi extraído pode ajudar a determinar se há problemas no ritmo circadiano.

Obviamente, existe uma maneira simples de corrigi-lo. As mães podiam rotular o leite materno com o horário da extração e coordenar o horário em que alimentavam os bebês, a fim de lhes oferecer leite pela manhã, leite à tarde e leite à tarde. Noites à noite.

Se for a prática habitual em unidades de terapia intensiva para recém-nascidos, acreditamos que milhares de bebês poderiam se beneficiar com o consumo de leite no momento certo, o que poderia ajudá-los a ter uma melhor regulação dos ritmos circadianos. Existem muitas unidades de terapia intensiva para recém-nascidos que já adotaram práticas projetadas para melhorar a regulação da biologia circadiana em bebês, como diminuir as luzes à noite, para que a amamentação leve em consideração o tempo de A produção de leite seria o próximo passo lógico a seguir. Da mesma forma, os bancos de leite que aceitam leite de doador podem classificar o leite em lotes de acordo com o tempo de extração.

Existe uma alternativa mais simples para coordenar o leite extraído: melhorar a capacidade das mulheres amamentarem diretamente os bebês, melhorando as condições de licença de maternidade e paternidade. Mães que podem amamentar diretamente seus filhos não precisam se preocupar em organizar o leite durante horas do dia, e oferecer leite diretamente a partir do peito pode ter outros benefícios à saúde.

A ciência continua a explorar o papel da amamentação nos relógios internos e seu impacto na saúde e no desenvolvimento dos bebês. Se o leite, de acordo com o tempo de extração, é uma boa maneira de estabelecer os relógios internos dos bebês, é uma questão de saúde pública que reflete a importância da criação de medidas que ajudem as mães a ficar em casa. Seus filhos durante o primeiro ano de vida.

Autores: Darby Saxbe. Professor Assistente de Psicologia, Universidade do Sul da Califórnia. Faculdade de Letras, Artes e Ciências de Dornsife; e Jennifer Hahn-HolbrookProfessor Assistente de Psicologia, Universidade da Califórnia, Merced.

Este artigo foi publicado originalmente na The Conversation. Você pode ler o artigo original aqui.

Traduzido por Silvestre Urbón

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *