Miss Cantine

Polícia alerta novamente sobre ‘Momo’ e pede aos pais para controlar os vídeos que seus filhos assistem

Há menos de um mês, contamos a queixa pública feita por uma mãe, depois de descobrir um clipe inserido em um vídeo infantil do YouTube Kids, com instruções para as crianças sobre como proceder para ter sucesso.

Bem, agora é a Polícia Nacional que alertou os pais sobre a importância de supervisionar os vídeos que nossos filhos veem, porque parece que a imagem sinistra de Momo (da qual também conversamos com você há muito tempo) voltou. Nesta ocasião, Momo não estrela um whatsapp viral, mas ele foge no meio dos vídeos das crianças, assustando as crianças e incentivando-as a se machucar.

NÃO, MOMO NÃO EXISTE, é um vírus antigo que ressurge agora com algumas modificações prejudiciais.

Os ciberagentes da Polícia Nacional estão analisando, nesse sentido, vídeos diferentes, alguns deles de natureza infantil e aos quais foi adicionada uma suposta mensagem de Momo que poderia se tornar perigosa, principalmente para os mais pequenos.

Por ele É responsabilidade de todos impedir que essas imagens se tornem virais: É importante que os pais supervisionem os vídeos acessados ​​por seus filhos, especialmente os mais novos, para evitar serem expostos a conteúdos tóxicos para eles.

Também é essencial NÃO COMPARTILHAR qualquer vídeo ou fotografia em que esse vírus seja referenciado, para que não seja nós mesmos quem nos ajude a divulgá-lo ainda mais.

Em vez de compartilhá-lo com qualquer pessoa, o que devemos fazer se encontrarmos um vídeo ou foto como RELATÓRIO PARA A PRÓPRIA PLATAFORMA OU REDE SOCIAL na qual está hospedado, para que seja eliminado

Com esta mensagem postada em suas redes, a Polícia Nacional informou sobre o ressurgimento de Momo, um whatsapp viral que já alertamos há algum tempo, mas que agora retorna com modificações perigosas.

Aparentemente a figura sinistra se infiltrou em diferentes vídeos do YouTube (algumas delas de natureza infantil), assustando crianças e lançando mensagens perigosas que incitam a danos pessoais ou prejudicam terceiros.

Alguns dias atrás, um usuário do Twitter compartilhou o cativante vídeo de bebê de Baby Shark com a imagem aterrorizante de Momo como parte de um clipe inserido no meio da música. No vídeo, Momo pede às crianças que procurem uma faca e cortem as mãos, e se não o fizerem, virá para eles.

Também no tópico do Facebook da página da Polícia Nacional, vários usuários comentaram casos semelhantes nos quais Momo se infiltra no meio de vídeos infantis, como demonstrações de Fornite ou vídeos da Peppa Pig.

Não é a primeira vez que a Polícia Nacional alerta em Momo. E é que esse vírus, como tantos outros que infelizmente se tornaram moda nos últimos meses, pode colocar em risco a integridade física de crianças e adolescentes.

Mas quem é realmente Momo?

Como a Polícia Nacional alerta, Momo não existe. Trata-se de uma escultura japonesa que foi exibido pela primeira vez na galeria de arte alternativa, Vanilla Gallery, em 2016. No entanto, e sem o registro do autor, sua imagem foi tirada do contexto da exposição e começou a ser usado como parte de um desafio viral.

É indiscutível que a escultura é assustadora, sinistra e até aterrorizante, especialmente se quem a vê é uma criança pequena. Mas o mais terrível disso tudo é que existem pessoas capazes de tirar uma imagem do contexto para assustar os pequenos dessa maneira, manipulando vídeos de conteúdo infantil.

As medidas que o YouTube está tomando

Não é a primeira vez que o YouTube enfrenta reclamações dos pais por mostrar conteúdo infantil enganoso em seus vídeos. E embora, por enquanto, a rede social esteja reforçando suas políticas de segurança para limpar conteúdo inapropriado, fica claro que ainda há trabalho a ser feito.

No ímã
Os anunciantes estão saindo do YouTube. O motivo? Uma rede de conteúdo pedófilo na plataforma

Recentemente, o YouTube deu um novo passo ao anunciar a proibição de desafios perigosos em que as crianças estavam envolvidas. E a esse respeito, ele expressou sua tolerância zero a qualquer vídeo que inclua a figura de Momo, independentemente do tratamento realizado.

Assim, canais de televisão como CBS, ABC, CNN ou Fox viram como seus vídeos informativos relacionados a Momo foram desmonetizados e incluem uma lenda no início alertando o usuário sobre conteúdo perturbador. Como podemos ler em The Verge, não é uma política específica agora lançada pelo YouTube por ocasião do ressurgimento de Momo, mas as diretrizes de conteúdo amigável para anunciantes.

O que fazer se encontrarmos um vídeo com essas características?

Embora o YouTube seja responsável por limpar todos os tipos de conteúdo inapropriado, A polícia pede aos pais que monitorem os vídeos que seus filhos assistem, a fim de impedir que caiam em exposições desagradáveis ​​e perigosas.

Mas, se ainda assim, temos a má sorte de encontrar um vídeo com essas características, a Polícia recomenda duas coisas:

  • Em primeiro lugar, denuncie à própria rede social onde o vídeo está hospedado para ser removido o mais rápido possível. Se o encontramos no YouTube, podemos acessar informações sobre como proceder em sua página de Políticas e segurança.

  • E segundo não compartilhe ou espalhe com ninguém, com o objetivo de não contribuir para a sua disseminação.

Além dessas medidas, o YouTube também recomenda seguir uma série de diretrizes para que as crianças mais velhas naveguem com segurança, sem esquecer que a responsabilidade final é sempre dos pais.

As 15 coisas que você deve saber sobre as redes sociais antes de permitir que seus filhos as usem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *