Miss Cantine

A vacina contra o HPV ainda não será incluída no cronograma de vacinação para crianças, apesar das recomendações de especialistas

A vacinação contra o papilomavírus humano (HPV) em mulheres está incluída nos calendários oficiais de todos os países europeus, mas alguns também decidiram administrá-lo a crianças, uma vez que homens e mulheres são transmissores desse vírus.

No entanto, apesar das recomendações dos especialistas do Comitê Consultivo de Vacinas da AEP (CAV-AEP), o Ministério da Saúde publicou um relatório no qual a administração desta vacina em homens de forma sistemática não está incluída. Assim, no momento em nosso país, adolescentes entre 11 e 14 anos continuarão sendo vacinados exclusivamente seguindo o calendário oficial.

Homens e mulheres, transmissores do HPV responsáveis ​​por doenças de ambos os sexos

Papilomavírus humano (HPV) ou papilomavírus, É transmitido durante o sexo, e pode causar doenças diferentes em homens e mulheres, de benignas a muito graves.

Estima-se que mais da metade das pessoas sexualmente ativas contrai esse vírus em algum momento da vida, embora na maioria dos casos a infecção expire sem problemas. Mas se o vírus persistir no corpo por muitos anos (entre 20 e 30) ou se pertencer a certos tipos, poderá causar o aparecimento de tumores malignos.

A vacina é especialmente eficaz quando a infecção ainda não ocorreu, e isso só pode ser garantido quando a relação sexual ainda não foi iniciada. Daí a importância da vacinação de pré-adolescentes e adolescentes.

Nas mulheres, o vírus está relacionado na maioria dos casos com câncer do colo do útero, enquanto nos homens está associado a tumores do pênis, ânus e orofaringe. Em ambos os sexos, o vírus pode causar verrugas genitais, uma condição benigna, mas irritante e frequente.

Mas, embora homens e mulheres sejam transmissores do vírus e que ambos os sexos possam sofrer as consequências de doenças associadas, em nosso país a vacina contra o HPV Está incluído apenas no calendário oficial para meninas.

Por que a AEP recomenda a vacinação de homens

Como transmissor da doença, vacinar homens também protegeria as mulheres, além de prevenir a ocorrência das doenças mencionadas.

Portanto, o Comitê Consultivo para Vacinas da AEP e vários Comitês de Vacinação de outros países vêm assessorando essa medida há algum tempo:

“É verdade que a porcentagem é maior nas mulheres, mas que Isso não significa que esse patógeno não se refira aos homens e não os represente uma ameaça, sendo responsável por uma porcentagem significativa de tumores penianos, ânus e otorrinolaringológicos. Além disso, o homem é o principal transmissor do vírus para as mulheres, vacinando-as, elas também se beneficiam “- aponta o coordenador do Comitê Consultivo de Vacinas da AEP, Dr. David Moreno.

“O fato de não vacinar meninos e confiar que a imunidade de grupo gerada pela vacinação de meninas também protegerá o homem significa subestimar o problema que a infecção pelo HPV representa para a população masculina”, diz o Dr. Moreno .

Como lemos no relatório de revisão de 2018 das Bases e Recomendações de vacinação do AEP, há muitas razões pelas quais os homens também devem ser vacinados contra o papilomavírus humano, além de estarem cientes da importância da vacinação em meninas, pois, no momento, a cobertura não excedeu o limite de 80%.

No entanto, e como podemos ler no relatório publicado pelo Ministério da Saúde, A vacina para adolescentes do sexo masculino não será incluída nos horários oficiais de vacinação, e é recomendado apenas em casos de homens que mantêm relações sexuais com outros homens (HSH), pois é considerada uma população de alto risco:

“A incidência de câncer anal é maior em populações de alto risco, incluindo HSH HIV positivo, HSH HIV negativo, pessoas HIV positivas em geral e mulheres com histórico de câncer cervical. O HPV foi detectado. em 90% dos cânceres anais e o genótipo mais frequente é o HPV 16 (70% dos cânceres anais) “

Austrália pode erradicar o câncer do colo do útero nos próximos anos

Atualmente, todos os países europeus contemplam a vacinação de meninas contra o HPV, mas também, de acordo com dados do ECDC, esta vacina também está incluída em meninos e adolescentes nos calendários de vacina de:

  • Áustria, para crianças entre 9 e 11 anos

  • Croácia, para 14 anos

  • República Tcheca, para crianças entre 13 e 14 anos

  • Liechtenstein, para crianças entre 12 e 14 anos.

Além disso, Bélgica, Itália e Suíça aprovaram a vacinação de homens contra o HPV, e recentemente fizeram a Alemanha e o Reino Unido, embora, como podemos ler nesta informação publicada pelo Comitê Consultivo de Vacinas da AEP, os dois países ainda não tenham determinado quando e como eles começarão a vacinar crianças.

Fora das fronteiras européias, outros países como Estados Unidos, Canadá e Austrália já vacinam crianças sistematicamente contra o HPV.

Adolescentes do sexo masculino no Reino Unido serão vacinados contra o HPV, uma medida que o AEP também recomenda

O caso da Austrália é especialmente significativo, pois não foi apenas o primeiro país a iniciar a vacinação gratuita contra o HPV em mulheres (2007), mas em 2013 as autoridades de saúde decidiram incorporar também a vacina para homens.

Assim, e de acordo com dados recentes publicados por pesquisadores, nos próximos 20 anos Austrália pode acabar erradicando o câncer cervical, já que uma redução de até 77% dos tipos de vírus envolvidos nesta doença já foi observada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *