Miss Cantine

Apenas 47% das mães continuam a amamentar aos seis meses: como conseguir a amamentação prolongada

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha a alimentação de bebês com leite materno durante os primeiros seis meses de vida e prolonga a amamentação como um complemento à alimentação sólida por até dois anos ou mais.

Na Espanha, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde publicada em 2018, aos seis meses, apenas 2 de cada 5 crianças (43%) continuam a se alimentar exclusivamente de leite materno.

Apoiar a mãe é uma medida fundamental para prolongar a amamentação, quantos benefícios isso traz para a criança. Mas há mais, como diz o lema da Semana Mundial da Amamentação de 2019: “Vamos nos capacitar, vamos tornar possível a amamentação!”

Causas que causam abandono precoce da amamentação

As barreiras sociais e trabalhistas que as mães enfrentam, principalmente devido à redução do tempo devido ao retorno ao trabalho após a licença-maternidade, são um dos principais motivos que causam o abandono prematuro da amamentação em nosso país, alguns números semelhantes à média mundial.

Assim, três em cada quatro mulheres (72%) amamentam durante o primeiro mês e meio após o parto, número que é reduzido em seis pontos aos três meses (66%), o que significa que uma em cada três mães que optaram pelo aleitamento materno. Aos seis meses, o declínio é ainda mais significativo: apenas 47% das mães continuam a amamentar seus bebês.

Portanto, a Semana Mundial da Amamentação 2019 busca alcançar políticas e legislação sobre prolactância, apoio à maternidade pelas empresas e implementação de normas sociais eqüitativas relacionadas à igualdade de gênero, como o trabalho em equipe entre as mães e seus parceiros, para prolongar a amamentação e, assim, beneficiar bebês e mães.

Porque, como diz o UNICEF melhorar as taxas de aleitamento materno em todo o mundo pode salvar anualmente 820.000 crianças com menos de cinco anos de idade, 87% deles com menos de seis meses.

No mesmo sentido, Medela é demonstrada ao garantir que o poder da mãe e o apoio de seu ambiente imediato contribuam para aumentar as taxas de amamentação, melhorando o estado de saúde do bebê.

Quando a mãe se sente segura e tem meios adequados, é mais provável que continue amamentando além dos primeiros meses.

Chaves para conseguir uma amamentação prolongada

Medela, em seu apoio ao empoderamento das mulheres, no âmbito da Semana Mundial da Amamentação, fornece as diretrizes para promover uma maior confiança das mães no modelo parental escolhido e no prolongamento da amamentação.

1. Envolver o ambiente da mãe

O apoio ao aleitamento materno não apenas relata benefícios de saúde para a mãe e o bebê, mas também ajuda as mães a se sentirem seguras em amamentar.

Portanto, é essencial que o ambiente da mãe, de seu parceiro até a equipe de saúde, esteja envolvido na criação de ambientes adequados e positivos para a amamentação.

É essencial ter médicos e enfermeiros informados, com habilidades de comunicação e empatia, que aconselham as mães e suas famílias sobre a amamentação e as apoiam na decisão de amamentar o bebê.

Na prática, o casal e o ambiente da mãe podem aprender a ajudar na amamentação, especialmente quando a mulher volta ao trabalho, não pode amamentar o bebê ou precisa de tempo para realização pessoal e descanso.

Como expressar e preservar o leite materno

Ajude a prolongá-lo:

  • Extraia o leite materno usando uma bomba manual ou elétrica. Isso torna mais fácil para outras pessoas alimentar os bebês e se envolver em seus cuidados.

  • Congele o leite para que o bebê possa beber a qualquer momento. O leite extraído retém a maior parte de seus benefícios à saúde dos pequenos, no entanto, é necessário manter uma boa higiene para garantir a segurança do bebê. A melhor opção é não deixar o leite no freezer por mais de 6 meses, embora possa durar até 9 meses se tiver sido extraído em condições de limpeza máxima.

  • Ofereça-o com mamadeiras específicas para amamentar, para evitar que o bebê a rejeite porque prefere o seio da mãe.

2. Suporte personalizado de consultores em lactação

Os consultores de amamentação fornecem apoio personalizado a cada mãe, fornecendo-lhes informações para que se sintam seguras com o modelo de parentalidade escolhido, decidindo se desejam bombear leite para alimentar os recém-nascidos e ajudá-los a lidar com possíveis problemas de aderência, má execução, estresse, entre outros.

O apoio das consultoras também ajuda as mães a combater falsas expectativas em relação à amamentação e a lidar com o julgamento de terceiros. Dada a pressão que pode ser exercida sobre as mães, as consultoras elogiam seu trabalho e aplaudem cada passo que dão, buscando criar um clima de confiança no qual se sintam confiantes.

Os benefícios da amamentação são os pilares da saúde de uma pessoa ao longo de sua vida.

Os bebês amamentados têm menos internações e, se ocorrem, são mais curtos e sofrem menos doenças infecciosas, o que resulta em economia para a economia familiar e as administrações públicas.

Além disso, as mães também se beneficiam da amamentação, que as protege contra câncer de mama e ovário e reduz o risco de osteoporose.

Portanto, na Semana Mundial da Amamentação, queremos reivindicar o leite materno como uma maneira natural de alimentar os bebês, por isso é importante tornar visíveis os problemas sociais existentes e que forçam a mãe a desmamar antes do desejado. E, nesse sentido, o apoio é essencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *